Atenção! Dengue, Zica e Chikungunya 

Paulistanos devem ficar atentos aos criadouros do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya.

Uma boa notícia é que o número de casos das doenças transmitidas pelo mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya vem diminuindo em São Paulo. De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, em 2016 foram registrados mais de 162 mil casos de dengue. Destes, 95 foram a óbito. De Chikungunya, foram 1092 casos e de Zika, cerca de 4400. Já em 2017, o número de casos de Dengue caiu para um pouco mais de cinco mil. Uma redução de quase 97%. No mesmo ano foram registrados aproximadamente 500 casos de Chikungunya; e 800 de Zika. Marcos Boulos, coordenador do centro de controle de doenças, esclarece que, além da conscientização da população, alguns fatores climáticos favoreceram para que esses números diminuíssem.

“Teve uma chuva muito importante esse ano. As chuvas contribuem pra lavar os focos. Tivemos também um inverno mais rigoroso. Isso permite que o Aedes não prolifere de maneira significativa. Há uma série de fatores relacionados. E, claro, principalmente por causa do surto da Zika, a população ficou mais alerta e isso fez com que tivéssemos uma busca mais clara e importante dos casos. As pessoas estão mais atentas com a possibilidade de surgimento dessas doenças”, afirma.

Fique atento aos sintomas:

Os sintomas de dengue, chicungunha e zika vírus são muito parecidos. Eles podem ser confundidos com outras doenças comuns em períodos de chuva, como a leptospirose, rubéola e o sarampo — explica Fernando Gatti, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

Como é difícil para a população em geral saber diferenciar as três doenças, o médico ressalta ser importante ficar atento aos sinais comuns: dores musculares e nas articulações, febres, dores de cabeça e lesões de pele. 


No caso da dengue e chicungunha, a febre fica acima de 38°C e em apenas 50% dos casos há manifestação dermatológica. Já no zika vírus, a febre é mais baixa, mas as lesões acometem 90% a 100% dos infectados, geralmente acompanhadas de coceiras — descreve Gatti.

Dores nas articulações e músculos também são sintomas comuns às três doenças, sendo diferentes apenas na intensidade. Já a conjuntivite, que aparece nos casos de zika e chicungunha, é rara em quadros de dengue. O zika ainda causa, de forma intensa, o aumento de gânglios cervicais, que pode ser identificado como caroços no pescoço. Sangramentos são sinais importantes nos casos de dengue e chicungunha, mas são raros no zika vírus. 
 
Um quadro febril associado a lesões na pele e dores musculares. Em casos de febre acima de 38°C e dor articular, a pessoa deve procurar assistência médica o mais rápido possível — aconselha o infectologista. 
 
 Faça sua parte, vamos vencer esse mosquito! 

Separe um tempinho para limpar seu quintal. Lembre-se também de checar se as calhas e as vasilhas dos pets não estão virando um ponto de acúmulo de água. É importante lembrar: um mosquito pode prejudicar uma vida. E o combate começa por você! 

Para mais informações, acesse: combateaedes.saude.gov.br

#combateaedes



05/01/2018


Procure também por:

> Dengue
> Zica e Chikungunya

<< voltar

  • Comentários (0)
  • Comente aqui
  • Indicar para amigo(a)
  • Imprimir
Nenhum comentário.

Preencha os campos abaixo:

Nome:
E-mail:  Exibir e-mail
Título:
Comentário: 
Seu comentário sobre essa matéria, será avaliado
e publicado no prazo máximo de 48 horas.
QMG   

Indique esta notícia a um(a) Amigo(a):

Seu Nome:
Seu E-mail:
Nome Amigo(a):
E-mail Amigo(a): 

newsletteranuncie

Receba nosso informativo semanal